quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

As forças invisíveis sobre os vetores da aproximação

Estava eu conversando com um amigo no chat do facebook quando, de repente, ele lança a seguinte pergunta: "O que conecta as pessoas?". No primeiro dia do ano, esse amigo que tá morando temporariamente no velho mundo, me joga uma pergunta dessas. Respondi sem muita hesitação: "Há tantas respostas possíveis... Se formos pessimistas: solidão; otimistas: amor; racionais: compreensão, que um consiga entender o outro.". Surpreso com a minha rapidez ao responder, ele me perguntou se eu pensava bastante no assunto, e com esse post vocês podem concluir a resposta.
Mais tarde naquele dia primeiro do ano novo, fui assistir 21 gramas de Iñarritu. Surpreendentemente ou não, o filme abordava o mesmo assunto da pergunta do meu amigo, o que me instigou ainda mais a pensar não apenas no que conecta as pessoas, mas comecei a pensar também no que as aproximava em primeiro lugar, destino e as forças que fazem duas pessoas cruzarem o caminho umas das outras.
No filme, o personagem de Sean Penn é um matemático que se encarrega de soltar as frases mais impactantes, principalmente quando começa a questionar o que faz duas pessoas se conhecerem. "Há um número escondido em cada ato de vida, em todos os aspectos do universo. Frações, matéria, - Há um número gritando para nos dizer algo ... Os números são uma porta para uma compreensão mistério que é maior do que nós.". Ele cita ainda parte do poema de um venezuelano, em inglês: "The earth turned to bring us closer. It turned on itself and in us, until it finally brought us together in this dream.". Finalmente, ele solta a frase que me fez chegar a escrever este texto a frase que kept me wondering all day
: "There are so many things that have to happen for two people to meet.". BOOM! Essa frase soou como uma bomba na minha cabeça e, cinco dias depois, cá estou, tentando transcrever o que meus neurônios dizem.
Fui atrás do poema, mas queria lê-lo em español, no idioma em que foi escrito. Depois de alguma procura, por fim encontrei. Segue abaixo esse belíssimo poema em três línguas, a original, traduzido por mim para o português, e em inglês. Façam bom uso, usufruam e espalhem, mas - principalmente - questionem: What brings two people together?


-

La tierra giró para acercarnos

La tierra giró para acercarnos,
giró sobre sí misma y en nosotros,
hasta juntarnos por fin en este sueño,
como fue escrito en el Simposio.
Pasaron noches, nieves y solsticios;
pasó el tiempo en minutos y milenios.
Una carreta que iba para Nínive
llegó a Nebraska.
Un gallo cantó lejos del mundo,
en la previda a menos mil de nuestros padres.
La tierra giró musicalmente
llevándonos a bordo;
no cesó de girar un solo instante,
como si tanto amor, tanto milagro
sólo fuera un adagio hace mucho ya escrito
entre las partituras del Simposio.


Eugenio Montejo

-

A Terra girou para nos aproximarmos,
girou sobre seu eixo e sobre nós,
até nos juntarmos por fim neste sonho,
como foi escrito no Simpósio.
Passaram noites, neves e solstícios;
passou o tempo em minutos e milênios.
Uma carroça que ia para Nínive
chegou em Nebraska.
Um galo cantou longe do mundo,
na pré-vida a menos mil de nossos pais.
A Terra girou musicalmente
levando-nos a bordo;
não deixou de girar um só instante,
como se tanto amor, tanto milagre
fosse apenas um adágio há muito escrito
entre as partituras do Simpósio.

-

The Earth Turned to Bring us Closer

The earth turned to bring us closer
it turned on itself and within us
until it finally brought us together in this dream
as written in the Symposium.
Nights passed by, snowfalls and solstices
time passed in minutes and millennia.
An ox cart that was on its way to Nineveh
arrived in Nebraska.
A rooster was singing some distance from the world,
in one of the thousand pre-lives of our fathers.
The earth was spinning with its music
carrying us on board;
it didn't stop turning a single moment
as if so much love,
so much that is beautiful
was only an adagio written long ago
in the Symposium's score.

-

E pra quem quiser conhecer um pouco mais do trabalho desse venezuelano: Eugenio Montejo


P.S.: Talvez este texto tenha continuação.

2 comentários:

Metalbardo disse...

quero continuação x)~

silenciodasombras disse...

Adoreeeii! Belissimo!