segunda-feira, 14 de junho de 2010

Notas de um qualquer último domingo de maio

E enquanto conversávamos sobre a vida
e os amores que nela se perdem e
se encontram
teus olhos
buscam respostas
nos meus cheios
de perguntas
que te contemplam

Enquanto tu falas
de teu amor uno
eu penso nos meus tantos
que foram únicos um dia
e hoje se fizeram vários
dispersos e dispendidos
já se perderam há muito
no vento que agora assopra
nossas peles

Depois de algum tempo
E algumas canções recheadas de dança
Eu olho preocupada a chuva cair pela janela
as roupas brancas no varal
E se o céu sangrasse
e manchasse
de vermelho
aquela brancura toda?

Volto pra mim e penso
naquilo tudo
em nada
e no quanto sou boba
Achei que estava me levantando
Um ano depois da queda
Uma volta inteira em torno do sol

Tento dispensar as muletas
E saio mancando
pelo chão esburacado
que encontro à minha frente



30 de maio de 2010

2 comentários:

Lorenna disse...

Que bonito, Charlie. Já tinha te falado que gostei. Mas o "enquanto conversavamos sobre a vida e o amor" não te lembrou alguma coisa, non? Besos

Jamerson Belfort Nogueira disse...

Simpes e intenso.