terça-feira, 22 de abril de 2008

Eu e eu

-Eu acredito que as coisas não acabam por aqui, que tem que ter algo pós-vida.
-Ah, eu não. Sou mais cética. Acho que Augusto dos Anjos tava certo, e todos servirão apenas de comida aos vermes.
-Eu prefiro não me deixar influenciar por idéias alheias.
-Nietzsche dizia isso quando buscava inspiração.
-Mas ele também se deixava influenciar por Wagner e Schopenhauer.
-Eu discordo de Nietszche.
-Eu concordo, em partes.
-Eu queria ser mais otimista.
-Ah, não, creio a vida deve ser encarada da forma mais realista possível, nem que para isso se seja taxado de pessimista.
-Aprendi a sempre ressaltar o lado ruim da vida, e isso é ruim.
-Pelo menos assim não se cria a ilusão de que tudo é bom e florido.
-Eu acho que o amor salva.
-Nem sei se acredito em amor... a humanidade não está preparada pra um sentimento tão nobre como este é cantado.
-Dizem que é eterno, mas prefiro acreditar que é eterno apenas enquanto dura.
-Eu acho que deve ser eterno, e acredito em almas gêmeas.
-Por favor! Quanto romantismo...
-E qual a graça de se viver sem romance, sem intensidade?
-Tem graça sim, assim você não se machuca.
-Não machuca, mas também não sente.
-Prefiro ser livre, desapegada de quaisquer futilidades.
-"Almejas voar e não te sentes livre da vertigem?"
-Goethe é sempre tão sábio.
-Veja Werther, por exemplo. Esse sim era um verdadeiro homem, daqueles sem igual. Morreu por amor, pelo que acreditava.
-Era um dramático, suicida, isso sim. Poderia facilmente ter se apaixonado por outra.
-Ah, não é bem assim. Existem bilhões de pessoas no mundo, mas às vezes só queremos uma.
-Uma que dificilmente valerá a pena.
-Mas existe alguém que valha a pena, afinal?
-Talvez...
-Isso foi otimista.
-Tenho minhas fases, mais que a lua.
-E agora, qual a fase?
-Estou crescente... há pouco minguava.
-Sempre preferi a noite.
-Eu também. Quando era pequena, passava horas admirando o céu.
-Sempre quis ganhar um telescópio, mas o máximo que consegui foi quebrar um, certa vez numa loja.
-Eu sempre quis tantas coisas.
-Eu costumava querer pessoas, era super platônica.
-Queria um cigarro.
-Você não pretende parar?
-Pretendo, não agora.
-Agora, agora deixa de ser agora toda hora.
-O óbvio é tão desprezível.
-Mas às vezes é necessário!
-Existem pessoas que não conseguem enxergar o óbvio.
-Acho que sou assim. Isso é bom?
-Não saberia dizer. As verdades variam. Nada é absoluto.
-Lógico, isso é óbvio!
-Quer dizer... o que é verdade, afinal? Não sabemos de nada, nem sabemos quem somos.
-Eu sei que eu sou eu.
-E quem é você?
-Eu também sou você.

7 comentários:

Kayo disse...

Poxa tchililim...nao sabias q tu era tao boa escritora assim...mto bonito mto bonito *-* sou o melhor amigo de uma geniazinha =O q bom pra mim ^^
Te amo ^^
:***

larice disse...

Nossa nin, quanta complexidade em um único ser...
Eu te conheço, nem sei se o suficiente, mas o necessário para saber as tuas fases.
Ser pessimista e óbvio, às vezes nem é tão ruim assim.

te amo

Kayo disse...

ah detalhe...um comentario mais objetivo...nao q eu seja a favor do pessimismo...mas creio q seja impossivel todo santo dia acordar bobo alegre vendo mil oportunidades em tudo...todos tem seus dias mais down...

:**

Lorenna disse...

Sem dúvida somos irmãs \o/
heuheuehuehuehu
gostei bastante...

Anônimo disse...

Lu do 10º Tc> ;) .. ESSA É mINHA AMIGA!.. Q DEFINITIVAMENTE SABE ESCREVER! CITA NIETZSCHE E OUTROS GÊNIOS, COM FACILIDADE, FAZENDO A DEVIDA FUNDAMENTAÇÃO, COM SEUS PENSAMENTOS, É VERO, QUE PRA SE ESCREVER BEM TEM Q SE LER BEM, PRIMEIRO NÉ? ;D.., UM POUCO CONFUSO, MAS DEFINITIVAMENTE MTO BEM ESCRITO! +__+, Já pensou em Escrever um Livro? ;D bOTO Fé!
bjus... = ***

Ananda disse...

Esse diálogo foi ESPANCATION!! :))

c. disse...

Ótimo diálogo esse, hein? Pode muito bem ser duas metades dum mesmo todo dialogando sobre sua própria vida e seu modo de encará-la, só que uma delas pelo prisma mais racional, frio e lógico e a outra pelo lado sensitivo, emocional e inspirador. De toda forma, sempre penso que o equilíbrio é o melhor caminho. ^^

Muito bom poder ler seus textos, sempre

beijos!