quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Where's my mind mesmo!

-Que horas a gente se encontra, então?
-Às dez, naquele lugar que é ponto de encontro pra todo mundo. Não, às dez e quinze, porque eu sempre me atraso, e não quero te deixar esperando.

.

-Quando você chegou, eu sabia que era você.
-Não repara no modo como eu tô andando, é que meu pé tá machucado e eu tô mancando um pouco.
-Se não me dissesse isso eu ia jurar que era assim que você andava. Que sua mãe anda assim, sua vó andava assim e todos da sua família.

.

-O que você mais gosta quando faz isso? Eu gosto de rir...
-Eu gosto de sentir. - disse ele passando levemente o indicador no braço dela. Ela também gostava de sentir, e naquela noite ele a faria sentir muitas coisas que ela desconhecia até então.

.

Eles conversavam, riam, e a noite passava por eles. As luzes dos postes ficavam embaçadas, o vento da praia era frio. Estavam se conhecendo, e pareciam uma supresa.

.

-Me dá um abraço?
-Eu prometi me comportar hoje. - mas ela não era muito boa em manter promessas.

.

Era um risco que valia a pena correr. They kissed, time slipped. Hard edged, tight lipped. E eles se veriam de novo. Ela lutaria
contra o destino; ele, contra o tempo.

Um comentário:

Patrick disse...

"Triste parto, sonho de um sonho que se desfaz
Dormir, talvez, e não ser mais
Vida que jaz num retrato
De onde me vês não mais estás"
By vc sabe

Conselho: Algumas fotos podem causar problemas.
veja http://www.pontosnoi.com/2008/06/05/fotos-de-aula-de-anatomia-no-orkut/

Aliás, belo nome o seu.
abraços